Um namoro totalmente livre

Quando compensa ou não reatar um relacionamento? *texto grande*

2020.10.13 19:20 __hollow Quando compensa ou não reatar um relacionamento? *texto grande*

Primeira vez postando no reddit, achei este lugar apropriado, é algo que vem me atormentando e que não comentei sobre isso com ninguém mais próximo. Se você tiver tempo de ler metade de um artigo científico, então eu agradeço sua opinião (e boa vontade) ;v
Tive meu primeiro relacionamento, foram ótimos momentos que duraram cerca de 2 anos e uns 7 meses, e durante os 3 últimos meses, em 2019, minha ex passou a agir de um jeito estranho, mais reservado e digamos, menos "conectada" comigo. Sempre a via jogando e conversando com as supostas colegas online (é, ela joga games) com mais intensidade do que comigo, o que já me indicava que algo estava diferente. Éramos membros de uma igreja local (faziamos parte de uma banda de jovens e praticamente todo nosso tempo livre era reservado a isso e a alguns eventos), então, de natureza, sua família era mais rigorosa com nosso relacionamento e eram muito poucas as vezes em que conseguíamos sair juntos sem estarmos por perto deles. Enfim, ela sempre foi uma pessoa boa, muito carinhosa e era realmente uma coisa incrível poder estar do lado dela, mas muitas vezes ela se abalava com esse tipo de comportamento da família que era imposto sobre ela e eu sempre a apoiei durante esse tempo, até que, em uma das suas crises, ela simplesmente não voltou pra casa depois do trabalho e dormiu numa colega de serviço por alguns dias, até finalmente voltar e anunciar pra família que ela iria embora para morar em Curitiba (sou do RJ) e ficaria na casa de uma amiga que jogava com ela, com uma desculpa de que tinha passado e iria estudar em uma federal de lá.
Nos encontramos alguns dias antes disso acontecer e ela me explicou que simplesmente queria se afastar da família dela e se aproveitou dessa situação da universidade como um gancho pra poder ir embora. Insistiu em manter um relacionamento a distância, coisa que eu não concordei e recusei de imediato e depois de diversas tentativas falhas de convencer ela a ficar, passamos o resto da noite um com o outro. Foi um choque pra mim, afinal, depois de tanto sacrifício que nós fizemos durante esse tempo, depois de tantas coisas planejadas, ver tudo se desmoronar. Eu não quis submeter ela a algo que ela não queria, portanto, eu somente permiti que ela fosse embora. Às vezes ainda penso que foi uma decisão estúpida...
Enquanto nos despediamos, seus olhos se enchiam de lágrimas e foi o que me fez pensar que essa decisão não era totalmente da vontade dela. Entretanto...
Meses depois, descobri que ela e essa tal amiga passaram a namorar...
É, isso mesmo.
Resumidamente, ela decidiu se aventurar com uma pessoa que ela mal sabia quem definitivamente era de verdade.
Depois dela ter ido, continuei frequentando a igreja, servindo e me prestando da melhor forma possível, mas, infelizmente eu acabei parando de frequentar pouco antes da pandemia e com o passar do tempo, perdi também a vontade de orar e simplesmente me projetei mais na faculdade e no trabalho. Embora eu esteja ocupado em grande parte do meu tempo na semana, não consigo parar de pensar nela e em tudo o que aconteceu.
Eu cortei contato com ela por volta de outubro do ano passado até meados de abril, quando ela me enviou uma mensagem pelo Discord (foi o único lugar onde eu esqueci de ter excluído seu contato, já que eu mal entrava lá) e desabafou comigo sobre como estavam as coisas e sobre como ela se arrepende e sente falta de estar comigo. Eu percebi que ela não estava bem, não estava feliz, não se sentia como antes e estava profundamente arrependida. Ela tinha fotos, vídeos e todo tipo de coisa que eu mandei pra ela guardados, e meio que ao ver aquilo, eu me senti bastante abatido. Desde então ela sempre vem procurando manter conversas em dia e me disse que quer voltar pra cá quando as coisas melhorarem com o único motivo de reatar as coisas e recomeçar tudo de novo, isso, é claro, se também for da minha vontade.
Nessa situação, eu gostaria de uma orientação, pois no fundo eu realmente quero, mas, conforme o que contei aqui, não é tão simples assim. Ao meu ver mais racional, ela só simplesmente sente falta do relacionamento e das sensações que ela tinha durante esses 2 anos e não necessariamente sente falta de mim. Embora eu perceba muito nitidamente o arrependimento dela e sua vontade de voltar o namoro, ainda fico com um pé atrás.
submitted by __hollow to desabafos [link] [comments]


2020.10.10 10:04 biel2907 Muitos problemas mentais

Boa madrugada, ou nem tão boa assim... Pra você que vai ler o que vou dizer, entenda que sua mente tem que ser muito aberta, principalmente a perdão, e o que você vê como ser humano ou não...
Enfim, indo do passado ao presente, meus pais nunca tiveram um relacionamento muito bom, desde que eu me entendo por gente, e estou falando disso porque é o que eu penso que pode ter provocado algo em mim do que vai vir a seguir... desde que eu me entendo por gente eles sempre brigaram, meu pai é muito mulherengo e minha mãe era bem menos "fogosa" que ele, e o casamento não deu muito certo, nunca vi meu pai bater nela, mas a pior briga que eu já vi foi ele ameaçando bater nela, mas isso nunca aconteceu, e eu não queria que eles terminassem de jeito nenhum até os meus 14/15 anos mais ou menos, pra mim era como se fosse o fim do mundo, depois eu entrei em uma escola técnica/ensino médio e vivia lá porque era muito tempo estudando e em uma cidade vizinha, conheci uma garota 2 anos mais velha que eu, foi a primeira pessoa que fiquei e assim que ficamos a primeira vez ela me pediu em namoro eu aceitei, não sei bem porque, mas foi indo, meu pai foi pra são paulo trabalhar porque tinha mais oportunidade (sou do rio de janeiro com minha mãe) e vinha as vezes 1 ou 2x por mês só visitar a gente, então o casamento foi só piorando... mas meu pai já tinha traido minha mãe antes e ela "perdoou" uma vez. Agora entra outro problema, eu não sei o porque, mas eu comecei a exercer um relacionamento tóxico/abusivo com essa garota que eu namorava, ela fazia tudo por mim me amava de verdade, e eu não conseguia confiar de jeito nenhum! E eu fui doente demais, fiz ela passar por coisas horriveis, a mãe dela controlava ela também, e eu também, e acabei brigando com a mãe dela (só discussão), enfim, mas a minha namorada foi a que mais sofreu, sério, são coisas terriveis, durou 4 anos nosso namoro, mas eu só ia piorando nas humilhações a ela,principalmente quando terminei a escola e fui pra faculdade em outra cidade, já fiz ela passar papel higienico no rosto, etc, inclusive já cheguei a agredir ela fisicamente (especificamente dei um tapa no rosto, não foi forte pra deixar marca nem nada disso, mas mesmo assim é TOTALMENTE errado, e eu nunca mais quero repetir algo do tipo), durante esse tempo meu pai engravidou outra mulher em SP minha mãe descobriu e eles finalmente terminaram (e eu agradeci por isso, não aguentava mais o relacionamento deles), uns meses depois a minha ex namorada finalmente se ligou com a ajuda das amigas dela e etc, e eu acabei terminando com ela por uma besteira minha e ela não voltou mais, e cortamos o contato dali, a partir daquele momento eu fui instantaneamente pro psiquiatra/psicólogo e comecei a frequentar bastante, eu passava mal durante meu relacionamento também por ansiedade de vomitar, ter caimbra no corpo todo, entortar ir pro hospital etc, isso já aconteceu varias vezes, eu acordava assim, em viagem de onibus sozinho, e era duro pras pessoas perto de mim ver aquilo, mas meus pais não gostavam de médicos de saúde mental, e só depois de tudo isso que eles resolveram que eu "deixar" eu ir. Eu ia bem na faculdade, porém nunca tive um sonho do meu curso em especifico, mas meu sonho era ter uma familia e só, nunca fui muuuito social, mas tinha uns amigos, até hoje tenho, depois que terminamos, eu não via motivo pra continuar na faculdade que pra mim era só pra dar um futuro pra minha familia que eu construiria, uma vez que fiquei sozinho perdi totalmente a vontade, tranquei voltei pra casa pra ficar com minha mãe, e ela também trabalha em algo bem simples e nunca teve vontade de melhorar na vida em questão de estuadr etc, e acho que acabei pegando esse jeito dela, mas é mais problema meu, n posso culpr os outros, hoje com 21 anos em plena quarentena com muito tempo livre eu não tenho emprego, não consigo lidar com os estudos EAD da faculdade (que tentei voltar) não tenho vontade, mas também não tenho vontade de fazer nada, eu queria um sonho, um motivo, algo profissional pra eu tentar aprender e melhorar, mas eu não consigo ter vontade de nada disso, chorei uma ou 2x e liguei pra uns amigos pra desabafar, mas sinto que já não tenho mais amigos pra isso... e também não adianta muito, porque eu quero uma solução, e acho que só tem como vir de mim, eu dei uma parada nos médicos mas já marquei psiquiatra/psicólogo novamente, tenho uma relação horrivel com meu pai desde então também, ele ja ameaçou brigar comigo e eu ameacei matar ele (falei da boca pra fora, bem eu acho) e tenho sonhos em que ele volta de SP pro RJ e sou obrigado a conviver com ele e é pertub ador, porque ele sempre foi uma pessoa mt grossa, e eu não sei mas tenho uma raiva guardada dentro de mim dele e não consigo lidar com isso, eu só queria esquecer q ele existe, mas sei que ele vai voltar aqui uma vez ou outra pra querer me ver, ver minha mãe, os pais dele q são meus vizinhos, etc. Enfim, a ansiedade eu consegui melhorar bastante com os remédios, os problemas de ser abusivo e tóxico eu falei tudo isso em diversas terapias, e acho que lido bem melhor hoje (só pondo a prática, eu namorei uma menina depois dessa mas foi por menos de 1 mes, foi bom pra nós apesar de ser curto kkkkk porque eu passei um tempo em SP assim que eu terminei o primeiro namoro, mas só piorou as coisas com meu pai lá e eu voltei e acabei terminando com a menina, na verdade foi bem consensual, ela gostou de mim mas também nem tanto pra namorar kk n tinha a magia, mas de verdade fui uma pessoa bem boa pra ela no tempo curto que tivemos e foi legal pra mim tentar me provar que melhorei mesmo que um pouco. Enfim é isso, não sei se pode ser curiosidade de vocês, mas eu me desculpei com minha ex 1 mes depois q terminamos, e ela tava bem melhor, acredito que possa ter buscado ajuda profissional depois de ter passado tantos problemas comigo, mas a ultima vez que vi algo dela, inicio desse ano (terminamos ano retrasado), ela aparentava estar bem, não nos falamos, eu até hoje me sinto culpado pelas merdas, mas isso n apaga o passado... enfim, eu to tentando reconstruir tudo, inclusive quero tentar esquecer isso com meu pai, mas primeiro preciso achar um futuro pra mim profissionalmente, e isso tá foda, porque preciso não depender mas da minha mãe, mas ajudar ela em casa que não é nada fácil nos dias de hoje...
submitted by biel2907 to desabafos [link] [comments]


2020.08.02 00:38 Leh_V Minha vida é totalmente controlada e nunca vou poder ser quem eu sou

(Vou tentar resumir, mas a história é grande) Pra fazer sentido, vou contar desde quando eu era criança. Eu era totalmente apaixonada por um garoto que é da minha igreja e sempre estudamos nas mesmas escolas. Vou chamar de JP. E ele sentia o mesmo por mim, sempre nos falávamos pela internet, jogávamos juntos... mas o tempo nos afastou.
Depois de uns anos, eu acreditava estar apaixonada pelo primo dele, vou chamar de EL. Então, começamos a namorar, ele era carinhoso e meus pais gostam muito dele. Inclusive, ele é da nossa igreja. Somos evangélicos, e minha família é muito cabeça fechada, inclusive o EL. Depois de tempos, fui totalmente controlada por ele, desde as redes sociais até minhas roupas. Ele já me fez escolher entre usar uma calça no frio ou namorar ele.
Eu sempre acreditei que iria mudar, mas não. Toda vez que tentava terminar, ele não aceitava e eu perdia as forças de fazer isso. Nesse namoro eu nunca fui quem eu sou de verdade, comecei a ter crises de ansiedade, meu pescoço ficava vermelho e eu perdia o ar.
Mesmo com tudo isso acontecendo, não sei por que, mas o JP (do começo da história) ainda mexia comigo. Eu via ele TODOS os dias, na escola ou igreja, e a gente trocava olhares, eu sabia que ele ainda sentia o mesmo por mim.
Eu e EL fizemos sexo 3 vezes, isso pode parecer normal, mas pra minha família é um absurdo. Só a minha mãe descobriu e praticamente me obrigou a ficar com ele com o objetivo de casar, mas dessa vez eu não aguentei mais: terminei com ele faz 2 semanas.
Nessas duas semanas, eu falei com o JP. Mandei parabéns pra ele e no dia seguinte ele mandou parabéns pra mim (ele faz aniversário dia 27 e eu dia 28), nós conversamos muito e eu me senti muito bem como a muito tempo não sentia. Descobri que ele nunca deixou de gostar de mim (não descobri por ele, mas por uma amiga).
Depois de 2 dias conversando com o JP, o EL descobriu isso e contou pra minha mãe. Como disse, ela é cabeça fechada. Tomou meu celular e agora eu só obedeço as ordens dela. O EL vem me ameaçando contar pra igreja o que fizemos, e se ele fizer isso, minha vida vai estar totalmente acabada. Principalmente por causa da minha família que vai se virar contra mim, e por causa de todo o falatório que vai virar. Mas eu resolvi não deixar os medos tomarem minhas decisões, e não voltei atrás.
Para a minha mãe, o EL diz que não vai contar o que fizemos pra igreja, mas eu sempre vou viver com esse medo de ele contar, e meu mundo desmoronar. Não sei o que meu pai seria capaz de fazer se descobrisse.
Falando no meu pai, há 2 dias ele me seguiu na rua pra ver onde eu estava indo (eu disse que iria caminhar pra espairecer), quando cheguei em casa ele só faltou me bater por achar que eu tinha feito alguma coisa errada. Então eu tenho muito medo do que ele é capaz.
Enfim gente, não sei nem se estão lendo KKKK provavelmente não, mas estou vivendo numa prisão. Tudo que eu mais queria é ser livre, poder ficar com o JP, porque eu descobri que nunca deixei de gostar dele de verdade. Como minha mãe e meu ex me proibiram de falar com o JP por toda a VIDA, o JP me comprou vários chocolates e pediu pra uma amiga me dar.
Eu só queria meus amigos do meu lado, nem com eles posso conversar. Gente, não sei mais o que fazer da minha vida, agora só estou acompanhando. Acho que nem conselhos existem pra essa situação.
submitted by Leh_V to desabafos [link] [comments]


2020.07.29 01:02 heartlessncold Problemas familiares

Desde que eu me entendo por gente, minha mãe sempre me cobrou que eu agisse da forma como ela bem entendesse e, quando isso não acontecia, ela me manipulava/reprimia ou até mesmo me tirava coisas básicas (tipo aqueles pais que não te deixam jantar porque brigaram com você).
Quando fui crescendo, fui percebendo certos sinais disso e comecei a mentir para me livrar de certas exigências dela. Eu não podia, mesmo indo e voltando sozinha da escola (que era no centro do rio de janeiro) sair com as minhas amigas, ter um namorado e nem nada disso até os meus 18 anos. Mentia para conseguir sair, mentia para conseguir namorar e tudo isso (e sim, sei que isso é errado, mas era o jeito que eu encontrava na época).
O período maior de privações que ela me fazia passar em relação a vida social e amorosa só afrouxou quando eu fiz 18 e entrei pra faculdade. Mas, ainda assim, ela tenta me manter sob o controle dela das formas mais manipuladoras possíveis - recentemente até admitiu que fez de tudo pra eu terminar um namoro que tive em 2018.
Bom, agora eu estou namorando outra pessoa, que é totalmente livre e tem uma ótima relação comigo e com as pessoas ao seu redor. Porém, quando essa pessoa está perto dos meus pais, eles fazem questão de que a conversa envolva apenas eles e meu namorado, me excluindo totalmente de algo que eu deveria participar. Isso me deixa triste e, acima de tudo, incomodada porque, na verdade, o namorado é meu.
Pois bem. Esse fim de semana meus pais viajaram e voltaram domingo à tarde e meu namorado estava aqui (eles sabiam disso). Dessa vez, eles não conversaram muito com ele porque foram fazer as coisas deles e eu pensei "ah, tudo bem, eles devem ter percebido que não é pra ficar alugando o cara enquanto ele tá aqui claramente por causa de mim".
Nada disso.
Ontem eles começaram uma briga horrível comigo, me xingando e dizendo que eu sou uma filha da puta incapaz, arrogante de merda e que eles esperam que eu me foda muito pra perceber que nem eles próprios estarão ali por mim. Inclusive, falam que eu nunca consegui nada sozinha, que foi tudo eles que me deram (isso porque eles são professores e eu sou estudante de direito - ou seja, são áreas totalmente diferentes e que eles nunca sequer entraram em contato. Além disso, eu estudei a vida toda em instituições públicas, elaborei meus projetos e fiz minhas coisas sempre sozinha). Desde ontem, sinto vontade de sumir dessa casa mas, infelizmente, não tenho recursos financeiros pra isso - até porque, eles deixam bem claro que vão virar as costas pra mim se eu sair de casa.
Já tentei conversar, mostrar meu ponto de vista, buscar um ponto comum mas, sempre que isso acontece, eles me mandam calar a boca e todos os xingamentos retornam. Não sei mais o que fazer. Não consigo atendimento psicológico e estar 4 meses em casa com eles só piora tudo. Sinto saudades da vida normal justamente porque não precisava aturar esse tipo de coisa o dia inteiro.
submitted by heartlessncold to desabafos [link] [comments]


2020.04.27 01:55 picanhaeater Fui no psiquiatra e foi a melhor decisão que já tomei

Uns meses atrás eu fiz aqui vários posts depressivos e e um tanto desesperadores falando sobre como eu me sentia horrível. Passei o ano passado inteiro depressivo; me sentia mal por ser quem eu era, minha auto-estima estava baixíssima - o que, inclusive, me fez desenvolver uma certa fobia social que me atrapalhou enormemente - e me sentia totalmente infeliz e solitário na maior parte dos meus momentos livres. Nessa época estava fazendo cursinho (foi meu primeiro e único ano) e, apesar da extrema frustração de não estar na faculdade, eu não tinha motivos muito concretos para me sentir tão mal quanto eu me sentia, apesar de não perceber isso na época.
Em dezembro eu terminei um namoro bem curto (3 meses) - e que, sinceramente, se não fosse pela minha fragilidade emocional, jamais teria acontecido -, o que me jogou no fundo do poço. Passei a maior parte dos meus dias de dezembro a fevereiro pensando merda sobre mim e sobre a minha vida, odiando todo dia a pessoa que eu era. Não conseguia ver nenhuma perspectiva de melhora, para mim eu era uma pessoa bosta e continuaria sendo uma pessoa bosta e infeliz.
Nesse período eu comecei a ter pensamentos suicidas e, devido a isso, após resistir e achar desnecessário durante meses, eu marquei consulta com um psiquiatra que um amigo me indicou. No final de janeiro ele me diagnosticou com depressão e ansiedade e me indicou um antidepressivo da classe dos inibidores seletivos da receptação da serotonina (ISRS) chamado oxalato de escitalopram, que eu comecei a tomar assim que saí do consultório.
Em uma semana tomando o remédio eu já senti uma melhora enorme no meu humor: meus pensamentos negativos e minha ansiedade diminuíram notoriamente e, pela primeira vez em muito tempo, eu conseguia ter algum tipo de controle sobre eles. Além disso, eu descobri que tinha passado na federal, o que obviamente foi importante pra minha auto-estima.
Esse é meu terceiro mês tomando o escitalopram e, desde então, minha auto-estima só tem aumentado (ao ponto de hoje considerar que minha auto-estima é bem alta) e minha fobia social desapareceu totalmente, o que me permitiu fazer muitas amizades novas e preenchedoras e me tornou uma pessoa bem extrovertida e com considerável facilidade em lidar com situações sociais. Entrar na faculdade e entrosar com a galera do meu curso também foi extremamente fácil e recompensador devido a esse novo lado da minha personalidade.
Para quem não tem muito interesse em ler essa parede de texto que eu escrevi, eu vou terminar esse post só falando que, desde que eu fui na minha primeira consulta, eu me sinto uma pessoa totalmente diferente de quem eu era no final do ano passado. E, honestamente, acho que nunca me senti tão feliz em toda a minha vida, mesmo com toda essa confusão por causa da Covid-19.
Se você já sentiu qualquer coisa parecida com o que eu senti, procure ajuda! É bem possível que seu problema seja fisiológico em algum nível e é extramente provável que vá te fazer um bem danado.
submitted by picanhaeater to brasil [link] [comments]


2020.03.27 17:56 oquintoanomimo Hoje é o aniversário da minha ex.

Estudamos na mesma escola e terminamos faz 1 ano, o namoro foi incrivel para mim, eu realmente amei muito ela e demonstrei uma consideração incondicional, tinha seus defeitos mas nada que fosse motivo de termino, ela disse que não queria estar num relacionamento sério agora e dedicar essa fase da vida dela mais para si, com certas indiretas de que poderia voltar depois, então fiquei sabendo que fez curso de teatro, dança e cursinho pre-vestibular, fazendo umas peças pela cidade, vivendo para si mesma, entao a principio ela não mentiu para mim e me enganou.
O dia de hoje mexe muito comigo, pois eu sempre fazia algo especial para ela nem que seja uma carta ou texto, acordei meio bolado lembrando de varias coisas.
Ao mesmo tempo tenho a visão que ela não merece minha atenção e tempo, por tudo que eu passei em relação, eu fui atrás várias por gostar muito dela e ouve e passei por muitas situações que me senti magoado e desvalorizado.
Passei várias coisas, muito sofrimento e muitos meses acordando tendo que aceitar a realidade fria e esmagadora, tomei no cu na escola e fiquei horas chorando, sem reação ou poder, até porque acredito que todo mundo é livre para seguir o caminho que quiser, em busca de amor-proprio e felicidade.
No meu aniversário ano passado, ela nem olhou na minha cara e olha que estudamos na mesma escola e a gente se viu varias vezes no dia, só me mandou um breve e simples parabéns.
Ano passado em dezembro ela me convidou para um café numa lanchonete, eu fui e conversamos diversas coisas aleatorias até o momento que ela disse que realmente não pensava em estar em um relacionamento e queria que cada um seguisse sua vida, apesar de ter uma visão amigavel comigo e não querer perder contato.
De tempos em tempos, ela me manda uma mensagem aleatória dizendo o que você imaginar, me desejou feliz ano novo e em janeiro desse ano me mandou um AUDIO DE 24 MINUTOS super preocupada comigo, falando tudo que você pensar de preocupação, mas o mais engraçado que na escola ela nem olha na minha cara direito, só conversamos pessoalmente se tiver amigos próximos no meio.
Eu fico sem entender essa porra, a pessoa termina contigo, te faz passar diversas fitas fodidas, você se sente desvalorizado e magoado incontaveis vezes, eu gosto dela mas não espero nada serio dela, até porque faz meses que é só ela que me manda mensagem, eu fico na minha seguindo minha vida.
É tão autoritario da minha parte dizer que alguém não merece o meu tempo e minha atenção, ela me manda essas mensagens aleatórias mas sinceramente não enxergo credibilidade, porque se tivesse ela seria do mesmo jeito pessoalmente, mas ela é tão fechada pessoalmente diferente do celular.
Meus amigos/amigas e alguns amigos/amigas dela também, me dizem que ela não merece o tamanho da valorização que eu dedico e dediquei a ela, poha até lembro o aniversário dela e me preocupei de certa forma..
Me pergunto se é tão injusto comigo me manter nesse lapso emocional, nesse ciclo de emoções, ela realmente merece algo de mim?? Nem que seja uma mensagem de feliz aniversário...
Tenho a sensação que deveria cortar esse laço por uma vez por todas, já que quando chegou o momento ela fez o mesmo comigo, não com motivos ruins mas para viver certas coisas consigo mesma, mas mesmo assim passei coisas ruins demais e não sinto valorização suficiente dela, mesmo que ela me mande audios e audios de preocupação, pessoalmente é totalmente diferente.
É aquela coisa né, as pessoas que realmente se importam com você, estão com você de verdade e você sabe quem é.
Só queria desabafar isso aqui, pois fica preso em mim essa sensação.
submitted by oquintoanomimo to desabafos [link] [comments]


2019.12.10 17:46 throwawaysemnome Minha irmã quer se matar e se provavelmente eu tiver a mesma vida que ela teve vai dar merda pra mim também

essa vai ser a 43423423 e talvez a ultima throwaway q vou criar pra esse subreddit, e o post mais profundo e fudido meu

Eu xxF (não importa a idade agora pra não falarem merda) entrei de ferias semanas atras, eu nem pra lembrar eu consigo, i mean, desde quando eu tava tendo aula eu não queria entrar de férias, desde ano passado eu fui assim, mas esse ano eu realmente não queria, não queria mesmo. Eu, se eu dizer minha rotina, já ira ter pessoa já reconhecendo a historia que ja desabafei aqui, e não liguem pra esses ultimos desabafos, aqueles não importam, eram só surtos mal feitos, vamos láá, acordar ir pra escola blablabla ficar no computador de tarde e de noite, sabado ficar no computador quando eu estiver acordada, umas... 12 horas por dia? domingo mesma coisa? quero dizer, minha vida inteira foi assim, mas lembro que quando criança meu pai colocava só 5 horas por dia num coisa lá do windows 7 controle dos pais, e eu nem me lembro o que fazia quando isso acabava, eu lembro mais profundamente na infancia eu brincando com meu patinete em volta da casa, nao saia na rua nem nada, lembro mais profundamente eu indo pra rua pra brincar com umas menininhas da casa da frente, e meus pais me chamando pra ir de volta pra casa, porque NaO pOdIa. eu lembro de minha mãe mandando eu roubar a mochila das meninas da frente q ia ser jogado no lixo, na verdade, eu nem sei... a mochila só tava la na frente da casa, eu nem sei... foi tudo culpa da minha mãe... eu odeio esse passado e me sinto um lixo lembrando isso... eu nem era tão pobre assim, se mil reais por mes pra 4 pessoas era pouco... e minha intenção aqui nem era desabafar meu passado... eu me odeio agora
eu só quero pular pro presente agora, as pessoas tem que me reconhecer pelo presente, eu sou uma boa pessoa agora por fora, eu sou extrovertida quando meus amigos estão por perto, na escola, eu tive que conviver com um outro grupinho que nem me socializar eu conseguia direito pois de lá eu só conhecia meu uh, namorado? (eu queria só ficar com ele mas, quis namorar e agora nem me respondendo mais no messenger está, e eu nem conhecia faz 1 semana e ele ja me queria e eu aceitei por pressão e porque ele era uma boa pessoa numa escola cheio de gente que não presta, e olha lá que eu ja fiz um post aqui falando isso, de qualquer forma, namoro em geral é superestimado)

presente agora -
quando começou as férias eu fiquei só fazendo as mesmas merdas, a diferença é que eu agora acordava mais tarde, tava indo até tudo bem, ''aprendi'' a conviver com as férias DESPERDIÇANDO MINHA VIDA, QUE ESSE APRENDI TA MAIS PRA ME ILUDIR, um webamigo (tomara que ele realmente nao leia esse desabafo, ele pode facilmente se reconhecer aqui, ele usa reddit, se vc de alguma forma ler isso, esqueça) meses mais velho que eu falava que foi em festas com a familia academia etc etc eu comecei a ignorar ele, eu não gostava de ouvir aquilo, tipo, inveja? mas ao inves de raiva eu só queria chorar, e foi o que eu fiz, ele depois de muitas tentativas de oi veio logo me chamar em outra conta que eu era ativa, e eu nao tive escolha, eu fiz drama só mandando pontos e falando que ele me deixava triste, igual um adolescente que quer atenção, mas n entendeu e eu só quis deixar isso de lado, e falar de outros assuntos, eu so chorei quando eu fiquei falando que tal coisa deixava triste, eu nao posso chorar porque meu quarto é publico, qualquer um pode ir aqui quando quiser porque o guarda roupa que tem aqui é de todos. então ja veio minha mae se preocupando, e como esperado, ela já veio falando : ''O cOmPuTaDoR eStRaGoU?''

parece bobo, mas aquilo me ferrou ainda mais, pode ser qualquer coisa que posso estar, mas, alguem pensar que eu estar chorando por causa do notebook estragar, me faz pensar que minha vida inteira ta sendo mesmo ficar na frente de uma tela apertando botoes. É isso, só ter uma vida e essa vida ser só isso.
De repente eu percebi minha mãe me mimando dando comida, um tipo lá de chocotone e fez pipoca, que bom mimar um sedentário com coisas nada saudaveis, ja sentia dor no peito mesmo dias atrás (mais uma referencia a outro desabafo)
ok, isso tudo foi ontem, dormi, acordei e fui dormir no quarto da minha mãe porque minha irmã tava se mexendo na cama e isso me deixava desconfortavel
agora que vem a merda
hoje acordei de novo com minha mãe e irmã falando alto sobre como o namorado dela quis um tempo ou algo do tipo, tava uma discussão normal, ela falando como ela tem raiva de tudo e se odeia, mãe perguntando o porque da cara dela estar vermelha em certos momentos etc etc
me deu vontade de chorar de novo por ela estar se preocupando com namorado sendo que ela tem emprego e vai pra onde quiser, enquanto minha vida literalmente depende dos meus pais (minha irmã é 21F e esqueci de falar que também minha infancia do 1 á 5 série foi chorar todos os dias na sala enquanto minha turma inteira, inclusive a professora do 1 e 2 ano, fazer bullying comigo, a minha nova escola do fundamental 2 quase ninguem me conhecia entao ninguem mais fazia bullying comigo, mesmo as 2 escolas sendo bem pertas, mesmo assim, eu nao sei o que eu tenho pra ser tao sensivel assim, mas agora tem motivo ainda).
Então, com um pai que trabalha e fica a noite inteira jogando, uma mãe que cuida da casa e vai assistir televisão quando não tem nada pra fazer, o que eu vou virar? huh? comecei a chorar no travesseiro
depois de tanto blablabla que discutiram, minha irmã começou a chorar, falando de novo que se odeia, que toda a raiva dela é biológica, de dentro da cabeça, que não produz mais felicidade, eu realmente nao me lembro muito por isso to falando tao vagamente.
e agora uma coisa inesperada pois sempre achei que minha mae entende que depressão não é frescura, que se preocupou comigo pensando que eu teria um dia, minha mae começou a falar merda
ela começou a falar com raiva que pelo menos minha irmã tem saúde e que isso que importa, começou a comparar minha irmã com minha prima que sei lá o que engravidou perdeu namorado e mesmo assim seguiu com a vida, que tem que ter força de vontade
mas acho que nem tudo que ela falou foi merda, eu não sei diferenciar desculpa, mas cada pessoa tem sua vida, não precisa ficar se comparando com pessoa com vida pior, isso não vai adiantar nada, minha mãe começou a falar que viu a vida inteira a mãe dela apanhar, falando como se fosse normal.
agora minha mãe vai falar com meu pai, minha mãe falou que meu cunhado terminou o namoro com minha irmã q queria ficar sozinho, que ele era bomzinho de boas com a vida e minha irmã um tanque de guerra, que computador da depressão (finalmente percebeu isso, minha irmã trancada em casa, não tipo, realmente computador, também celular, porque não tinha nada pra fazer alem disso antes de conseguir emprego e namorado), e quando minha mãe falou que minha irmã queria se matar meu pai falou : ''AhHhHh Vai coMeÇaR cOm O DrAmA'' ''FiQueI dESDe PeQUEnO TrABaLhANDO'' e pelo menos começaram a falar de psicologo, meu pai falando sobre espiritismo falando que quando se matar n vai pro paraiso e sim vai ser uma alma penada bla bla bla (ai ai gente ''religiosa'' ou algo do tipo é foda)

mãe : ''se tem que conversar com ela''
pai : ''N VOU (?? n sei mais q ele falou ele tava com a boca cheio de comida)
mãe falou mais algo que nao escutei porque meu barulho de teclado n deixou escutar
meu pai começou a falar que minha irmã foi criado tudo na mordomia e que a vida é sofrer
sinceramente, MEU PAI SÓ FALA MERDA, primeiramente, não é porque os pais teve a vida ruim que o filho vai ter também, na verdade nem sei como foi a vida dele antigamente, mas acha, acha que isso vai ser um loop infinito? um bom pai é assim? desejar a mesma coisa que ele passou pro filho? assim o filho desejar pro filho a mesma coisa? e assim vai indo? eles não abriram a mente pra ver como é tudo hoje em dia, eles ferram com a mente de uma pessoa deixando trancado em casa e chamando de vagabunda, pra depois falar que foi tudo na mordomia? sinceramente, devem gostar de sofrer, ou melhor, ja acostumaram sofrer, não é tipo, sofrer mesmo, mas parece que falar : ''todos vamos morrer um dia'' vai abrir a mente deles pra dizer que a vida não é só trabalhar e ficar preso em casa, i mean, mesmo minha irmã ja tendo 21 anos e precisando trabalhar, acha que ela fez algo de bom antes? que se divertiu na unica epoca da vida de se divertir? não, FICAR EM CASA NÃO É VIVER, desculpa se alguem acha que isso é frescura MAS EU TO PERDENDO A CABEÇA COM ISSO, a menina mesmo livre agora, teve um passado desperdiçado, ela falava que aguentou 20 anos por isso, imagina 20 anos desperdiçado, e eu, 13, parabens descobriram minha idade, 13 anos sentada e indo pra escola, irra.
na minha sincera opinião sobre o namoro dela, ela amava mais o namorado do que eu, e isso era o certo, o namorado dela dava presentes toda hora, a estante do nosso quarto é quase tudo presente dele ou da mãe dele, o namorado dela iluminou a vida dela, e então ela gastava o dinheiro do emprego dela tambem dando presentes pra ele, agora tinha chegado um teclado que ela iria dar pra ele, mas como ele terminou o namoro, ou deu um tempo sei lá, nem sei o que vai acontecer, o teclado tinha custado uns 200 reais, eu pensei que ela iria comprar pra mim e eu fiquei com raiva, quem gastaria 200 reais num teclado? mas era pro namorado dela, isso foi mais entendivel, depois de tanto mimo que ele deu pra ela, ela tem que retribuir, ela até perguntou pra mim o que eu queria de natal, já que meus pais tão pouco se fudendo pra mim, mas era no maximo 100 e eu queria algo de uns 200 (era uma mesa digitalizadora, eu queria uma pra eu continuar desenhando pois desenhar no mouse é impossivel, quem é artista sabe, eu desenho faz 5 anos e eu perdi totalmente o animo de desenhar, pois ate pessoas que nem sabem desenhar ja compram uma e isso é uma grande injustiça, e eu poderia fazer comissions até pra ganhar dinheiro com isso, mas nãoo, se eu tivesse uma mesa digitalizadora eu iria ganhar muito animo pra fazer isso) ser pobre é foda, nao quis nada mesmo.
o namorado dela era de boas com a vida porque deve ser classe media, tudo de boas, bla bla bla, casa boa, ja minha irma tem uma vida merda, agora, se vê o triangulo que isso fez?

irmã com vida merda > irmã acha namorado e emprego > irmã perde namorado por causa da vida merda q era o passado que não traz mais nenhuma felicidade pra ela hoje em dia, pois fica com raiva e nem sei da historia direito e o que ela fez pro namorado.

nossos pais tao fudendo com nossa vida, se for frescura, é só nós que somos sensiveis assim, é normal ficar com uma vida assim? não sabia.

vontade de ela voltar com o namoro e eu ser o filho deles, sinceramente.

morar numa casa que todos dão risada e pais que querem ver todos sofrerem é... torturante, se eu ficar aqui, vou ficar literalmente chorando as férias inteiras
submitted by throwawaysemnome to desabafos [link] [comments]


2019.08.12 07:24 echimenes SOBRE O LADO COMPLICADO DAS RELAÇÕES - HOMOAFETIVAS OU NÃO

Ok, isso é literalmente um desabafo. Acho que já passei da fase das reclamações - e essa nem seria a função desse grupo. Mas aviso desde já: história longa a frente.
Primeiro, vou contextualizar vocês:
Eu tenho 22 anos de idade. Formado em Contabilidade em uma universidade federal. Me considero bonito, tenho boas comunicações sociais no ramo profissional e já trabalho na minha área de formação a quase 2 anos.
Sou gay. Não assumido para familiares - não por escolha, mas simplesmente por que não me preocupo com o que vão pensar de mim. Eu sou o que sou e tenho pleno orgulho de mim. Não preciso ficar anunciando a ninguém. Quem já sabe, e algumas pessoas mais próximas a mim já sabem, me aceitam sem complicações ou preconceitos imaturos.
Sempre fui mente aberta, porém apenas me reconheço como homossexual a pouco mais de 3 anos. Morava em uma cidade minúscula até mudar definitivamente para a cidade onde a minha universidade se localiza, uma das maiores do estado. Aqui, terminei minha graduação e consegui um bom emprego. Viver com a minha avó, depois do falecimento da minha mãe aos meus 11 anos, me fez crescer livre, embora minha timidez excessiva na adolescência não me permitiu ser um cara de festas e baladas, ou bebidas e outras drogas lícitas. Não sou de muitos amigos até hoje, embora seja mais extrovertido do que jamais fui.
Gosto de escrever. Muito. Meu sonho é ganhar dinheiro escrevendo um dia, seja livros ou roteiros de novelas e filmes - confesso: eu penso alto, embora meus pés estejam bem firmes no chão. Sou nerd quando o assunto é ciências, filmes, séries, livros e coisas dessa área pop. Gosto de fazer amigos que curtam o mesmo que eu.
Agora vamos ao "problema":
Eu me apaixonei por um garoto. Um ano mais velho que eu. Nem um pouco nerd e de personalidade extremamente mais dominante, mais autoritária. Um cara mandão, do tipo que não aceita "nãos" como resposta para nada.
Eu, que cresci sendo mimado pelas mulheres da minha família, jamais pensei que fosse me desarmar por outra pessoa como aconteceu. De verdade, pensei que eu fosse ser um grande babaca quando encontrasse o amor da minha vida.
"Grande engano o seu!" - disse o coração.
Pois é, o amor veio. Jamais senti o que senti por ele quando nos conhecemos. Foi bem na época em que eu "soube" que gostava de garotos e esse cara literalmente me ensinou, me introduziu ao mundo LGBTQ+. E só Deus sabe o quanto eu adorei isso. Aprendi a perder o pouquinho de preconceito que eu ainda trazia comigo desde antes de me ver nesse meio. Ele cuidou de mim, me ajudou a me adaptar nessa nova cidade e me fez pensar estar num sonho.
Obs.: sem contar que tudo o que sei 'na cama', adivinhem? Foi ele também que me ensinou. Virgem até os 20. Pronto, falei.
Eu realmente espero que outros homossexuais que lerem esse texto se identifiquem com a minha história. Eu não acho que seja tão incomum assim passar pelo que eu passo.
Começamos a namorar. Eu conheci a família dele. Passei a frequentar muito sua casa e a dormir lá mais vezes do que eu dormia na minha própria durante a semana. Seis meses haviam passado e já fazíamos planos ousados de irmos morar juntos dividir um mesmo aluguel e um mesmo lar. Ter nosso próprio doguinho.
Logo quando encontramos nossa nova casa, com menos de um ano que nos conhecíamos, resolvemos fazer nossa "lua de mel". Compramos juntos uma viagem para o Nordeste, onde ele viu o mar pela primeira vez comigo - eu já havia visto antes, durante um Simpósio no sul em que fui com minha turma da faculdade.
Foi durante essa viagem que senti as coisas começarem a desandar. Eu soube desde o início que ele era obsecado por sexo. E não me entendam mal, eu também gosto, mas no caso dele - ser assumido desde muito pequeno, ter conhecido o mundo do sexo logo com seus 14 anos de idade e nunca ter sido muito controlado pela mãe que o criou para ter cuidado com esses assuntos, creio que isso mexeu com a cabeça dele -, imagino que isso o deixou ser mais guiado pelo lado irracional da coisa.
Eu sei que muitos casais passam por isso. Apimentar a relação, encontrar uma forma nova de fazer. De repente, um brinquedo ou um até mesmo um terceiro. Sim, hoje eu sei que isso é a coisa mais normal no mundo. Não é um bicho de sete cabeças. Não é um BIG DEAL. É o ser humano. Somos nós. Cansamos do mesmo corpo, dos mesmos lábios, dos mesmos assuntos. Não tem a ver com amor. Tem a ver com adrenalina. Precisamos sempre de renovações, de viver novas aventuras. É maior do que nós. Pessoas desimpedidas passam por isso dia após dia. Mas chega a ser um tabu para os casais. E não estou falando apenas de homossexuais. Homens e mulheres se machucam o tempo todo quando chegam nesse estágio do relacionamento. É triste e desencorajador, mas devo dizer que para quem passa por isso, pode ser um grande ensinamento de vida.
Não sei se é por sermos dois homens ou se é por termos feito as coisas muito rápido, mas com menos de um ano de namoro, cansamos um do outro. O amor não diminuiu, pelo contrário, ainda é o mesmo. O que mudou foi a falta de novidade. Ele já tinha tido muito mais experiências do que eu. Havia passado por loucuras que rezo para nunca ter que passar. Mas eu, em termos, ainda sou um iniciante nesses assuntos. Ele queria mais do que isso.
Sugeri um terceiro. Sou MUITO mente aberta. A ideia não me magoou no início, embora tenha me assustado, confesso. Ele prontamente aceitou e aconteceu ainda nesse viagem. Minha primeira experiência a três, mas não a primeira dele, claro. Embora eu não tenho dito nada a princípio, isso mexeu comigo. Não soube como reagir. É estranho ver a pessoa que você ama com outro. Okay, eu deixei, eu permiti aquilo, mas quando aconteceu, fui invadido por um sentimento totalmente novo.
Depois da viagem, as coisas não melhoraram muito. Fizemos a "brincadeira" outras várias vezes, mas parecia não ser certo. Eu vejo pornografia online diariamente como todo garoto da minha idade. Isso nunca me afetou ao ponto do vício.
Então as desconfianças começaram.
Eu ia para o trabalho nos dias em que ele tinha folga e ficava imaginando o que ele estaria fazendo em casa. Ou com quem ele estaria. Vejam bem, não sou ciumento, mas eu já sabia do que ele era capaz por causa do sexo. Aliás, não se trata de ciúmes; é algo mais... ético. Poxa, somos um casal. Praticamente casados com alianças e tudo. Já fizemos ménage antes e não haveria por que pensar que pudesse haver traição no meio. Eu tinha esse sentimento dentro de mim - ainda tenho -, de querer conhecer alguém diferente, me envolver como me envolvi com ele. Sabem? Me sentir como me senti no começo com ele. Quando a chama da paixão era ardente e incontrolável. Mas não poderia deixar nada mesquinho aflorar de dentro de mim. Eu amo ele. Ponto.
E foi então que eu descobri. Eu já estava às vésperas de me formar na faculdade. Estava com emprego novo e tudo parecia correr as mil maravilhas. Eu soube através de um meio anônimo que ele estava saindo com outros caras. Não poderia dizer quantos, mas sabia que eram mais do que um. Meu mundo só não caiu por que sei me virar em situações de emergência. Sei alinhar meus pensamentos. Sei administrar o que é racional do que não é.
Não joguei nada na cara dele. Deixei as coisas fluirem. Continuei a trabalhar durante o dia e pegar o ônibus para ir a faculdade a noite. Nos finais de semana, eu limpava a casa e lavava nossas roupas. Por ter poucos amigos, praticamente não saia nas folgas.
Não demorou muito para eu também começar a sair com outras pessoas. As escondidas, claro. Era só sexo. Nada de contatos. Apenas satisfação da carne. Ele fez, por que eu não podia? Também sou jovem, bonito, por que bancar a Cinderela com a madrasta e as primas más? Podem me julgar a partir daqui, mas me senti revigorado. Senti a chama de novo. Não me senti me vingando, estava muito além disso.
As vezes ainda fazíamos nossos trios, mas com frequência menor do que antes. Então um dia, ele descobriu que eu também pulava a cerca como ele. O cara com quem eu havia saído numa folga minha em que ele trabalhou, não sei por qual motivo - talvez para ver o circo pegar fogo - mandou prints de nossas conversas para ele e aí... bem, não foi tão frio quando eu fui. Brigamos como nunca. Claro que já havíamos brigado antes por vários motivos diferentes - inclusive por sexo -, mas essa briga em especial foi a maior. Decidimos nos separar. Ele jogou varias hipocrisias na minha cara e eu, bem, eu aceitei. Foram sete dias sem nos vermos. Eu já estava pensando em me mudar para a casa de um primo até saber para onde iria, quando tivemos uma última conversa. Abri minha alma, expliquei o que eu havia feito e por quê. Lembram do que falei sobre não aceitar "nãos" como resposta? Pois é, isso vale para não aceitar que a culpa recaia sobre você também. Foi uma conversa difícil. Tínhamos um cachorro para cuidar. Uma casa alugada com um contrato de aluguel ainda longe de vencer e dívidas contraídas juntas para liquidar. Talvez tenha sido a junção de tudo isso, daquela dívida moral que eu sempre vou ter com ele por ter me ajudado tanto no começo, mas reatamos.
Continuamos juntos, embora elefantes ainda caminhem pela nossa casa. Eu sei perdoar. Já perdoei várias coisas e pessoas antes dele. Não guardo mágoas, pois sei dos malefícios que se dão com isso. Não gosto de atmosféras tóxicas dentro de um relacionamento, seja ele amoroso ou não.
Agora, sinceramente já não ligo para as folgas dele. Não ligo para o fato de quantos caras ele vai levar para a nossa cama enquanto eu Não estou por perto. Eu sou mente aberta ao extremo. Talvez se ele tivesse me pedido antes de fazer, eu tivesse deixado. Não estou decepcionado e não me sinto traído. Não choro por isso a noite depois que ele já dormiu. Minha consciência está, acreditem vocês, tranquila. Certa vez, num banheiro público, li a seguinte frase:
"Você tem certeza que não está colocando vírgulas ainda deveria estar colocando pontos finais?"
Pois é, eu sei que estou colocando vírgulas. Muitas. Sinto que metado de mim iria embora no momento em que nos separassemos definitivamente. Pois mudei muito depois que o conheci.
Mudo a cada dia estando perto dele e sabendo do que aconteceu. Me sinto preso. Preso em algo que já parou de andar. Isso me faz querer me odiar, mas eu também tenho amor próprio. Ou será que acho que tenho por pensar assim e fazer algo totalmente diferente?
Eu sou um garoto e a outra pessoa também é. Somos um casal homossexual vivendo num país predominantemente homofóbico e intolerante. Mas eu sei que essa minha história é a mesma que muitos outros casais vivem ou já viveram por aí. Eu amo esse cara. Amo ao ponto de ainda estar com ele depois de tudo. Amo ao ponto de saber que estaríamos melhor separados. Mas me faltam forças para dar esse passo.
submitted by echimenes to desabafos [link] [comments]


2019.03.06 20:20 kekogames Minha vida era uma bosta

Olá meu nome e Kevin lima tenho 17anos e queria compartilhar algumas experiências que eu tive nesses 6 anos,eu não sei pra quem contar isso então vou postar aqui.
2013-esse ano eu entrei no 6 ano e estava em uma escola nova,o nome da escola era instituto adventista de Manaus (vamo chamar de iam)na minha sala a maioria das pessoas era novata que nem eu então foi uma coisa nova para todo mundo,foi um ano bem diferente conseguir entrar num grupo de amigos que tinha umas 6 pessoas foi um ano legal
2014-ai as coisas começam a ficar piores estava no 7 ano, praticamente todos os meus amigos ou trocaram de sala ou saíram da escola.entao eu comecei o ano meio pra trás,eu era bem tímido e bem gordinho (e meio lezo)então não conseguia fazer amigos eu não falava com quase ninguém eu ficava no canto da sala jogando no celular contando as horas pra que a aula acabasse.em casa aonde eu realmente me divertia adora ficar no YouTube vendo vídeos de Minecraft do monark do Venom e etc.e no Minecraft eu tinha amigos, nos faziamos video chamadas no Skype eu passava mais de 7 horas só jogando com eles era muito divertido.voltando a escola teve uma vez que estávamos sem professor aí ficou um tempo livre,umas 5 pessoas na sala fizeram uma roda e começaram a conversar,aí do nada me chamaram eu peguei minha cadeira e fiquei um pouco com eles(não falei muito)aí do nada começaram a falar sobre namoro e essas coisas, aí uma garota perguntou se eu ainda era BV eu falei que sim,ela perguntou se eu queria beijar ela , então besta do jeito que eu era fiquei recusando (e rindo meio com vergonha) e todo mundo insistindo. No final eu voltei pro meu canto e eu não beijei ninguém.ate hoje eu me arrependo.
2015-foi a mesma coisa que 2014 porém foi um pouco melhor,eu tentei aproveitar o tempo que eu ficava sozinho na escola fazendo nada. Já que eu não fazia nada na hora do recreio (já que eu ainda não tinha amigos) e comecei a refletir um pouco mais sobre a vida ,comecei a me questionar mais sobre coisas como religião,teoria da conspiração,e principalmente como as pessoas se comportam socialmente,eu observava as pessoas e fazia várias anotações de como elas se comportavam sobre diversas situações.em casa eu continuava jogando com meus amigos até fiz um canal de Minecraft.
2016-esse ano foi mais ou menos eu comecei a fazer um diário de todas as coisas que aconteciam ,nesse ano comecei a amadurecer um pouco mais(esqueci de citar um fato importante eu tenho uma irmã que e dois ano mais velha que eu e ela era tudo que eu não era inteligente, engraçada,bonita. Eu não tinha ciúmes dela,porém eu achava ela bem chata.eu era conhecido na escola como "o irmão da Karen)um dia eu estava esperando minha condução eu ficava em uma parte sozinho enquanto a Karen ficava conversando com os amigos dela,aí chegou uma garota do 7 ano e começou a conversar comigo ela era bem legal o nome dela era Rebeca ela gostava de animes e essas merda,aí a Karen saiu do canto dela só pra ficar bagunçando comigo . No carro ela ficou fazendo piadas,até em casa e prós parentes ela enchia a porra do meu saco (filha da puta).então eu parei de falar com ela por que a Karen e uma vagabunda.efim o resto do ano foi uma merda continuavam sem amigos

2017-esse ano as coisas começam a mudar radicalmente,pois eu comecei a entender realmente como socializar com as pessoas , depois que eu percebi isso eu perdi praticamente toda minha timidez.ai eu parei de fazer anotações e comecei a tentar ser bom numa coisa que eu gostava, matemática eu era o melhor da turma quando se tratava em matemática pessoas que eu nunca sonhava em falar começam a falar comigo ,e professores começam a me admirar e me usam como exemplo ,eu senti uma sensação que eu nunca tinha sentido antes e uma maravilha.em casa eu começo a perder interesse no Minecraft e meus amigos da Internet ficam um pouco mais distantes a cada dia(menos um).na escola eu ainda não tinha amigos porém eu era meio que independente. Era menos pior que ser um anti-social Zé ninguém. Pois eu não tinha medo de falar o que eu pensava as pessoas se surpreendiam por isso.eu sempre tentava fazer ações que chama-sem atenção dos outros ,tipo teve uma. Vez que a professora falou"quem não quiser assistir a aula ,sai agora"eu me levantei peguei minha mochila e fui embora todo mundo ficou tipo "oloko,Boa muleke!" Foi legal.um sentimento que eu sentia era o de sair da escola.meu sonho do 6 ano até o 1 ano era sair daquela escola,mesmo que as coisas estivesem melhorando eu ainda me sentia sozinho .Foi por um milagre de Deus minha outra irmã (a minha irmã legal)estava vendo matrículas para escolas públicas.fiquei muito interessado nisso passei a noite inteira pesquisando sobre escolas estaduais (procurando quais eram as melhores) foi aí que eu vi as 5 melhores pesquisei no site de matrículas e não tinha vagas pra nenhuma delas ,porém eu não desisti e passei literalmente 5 horas atualizando a página até que finalmente apareceu uma vaga para a escola Marco Antônio Villaça uma escola de tempo integral (7:00ate17:30) eu chamei minha mãe pra mostrar que eu consegui aí eu fiz os procedimentos da página e consegui me matricular. Eu não acreditei naquilo eu finalmente fiquei livre do iam eu senti uma sensação de alívio tão grande com felicidade foi ótimo. No último dia de aula mandei a escola toma no cu gritei bem alto "vtnc escola de merda" foi bem legal
2018-esse ano foi o melhor da minha vida, finalmente estava livre do iam.novas pessoas,lugares, experiências.eu consegui da reset na minha vida , Agora eu vou fazer tudo que eu não fiz. O começo foi complicado pois eu tava tão acustumado a ser tratado como um merda que eu achei que eu seria recebido assim porém foi totalmente o contrário,quando cheguei na escola estava bem nervoso. Foi direcionado para quadra, todos os alunos estavam lá.eu fiquei sentado num canto até que começaram a chamar os alunos minha sala era o 2 ano 3 .eu entrei na sala eu vi pessoas conversando e outros que nem eu (novatos)fazendo nada ,a professora chega e fala para os novatos se apresentarem. Essa hora foi bem legal pois depois que eu falei e tal. Eu me senti bem mais confortável.ja que aconteceu muitas coisas vou resumir.nos primeiros 4 meses conheci toda escola e fiz várias amizades.apartir do 7 mês eu fiquei com uma garota durou uma semana mais foi bem legal .hoje às pessoas me conhecem por ser um cara meio louco que faz as coisas por impulso , eu sempre tentei falar com o máximo de pessoas possíveis então a maioria das pessoas já me conhecem a escola só tem 9 salas então da pra ter pelo menos 2 amigos em cada sala.essa escola pra mim e minha segunda casa sou muito grato a minha outra irmã e Deus por terem me ajudado a sair do iam
2019-estou indo para o 3 ano e já comecei a estabelecer várias metas como arrumar uma namorada,dar uma festa,passar no vestibular,ser o melhor da turma e ganhar um dinheiro extra.
Me desejem sorte
submitted by kekogames to desabafos [link] [comments]


2018.04.20 20:34 CarroR24311 Como eu uso o Tinder pra despertar a “GP” interior em algumas mulheres

PRIMEIRO PASSO - O PERFIL
Bem, meu objetivo no Tinder sempre foi obter encontros com finalidade estritamente sexual, mas ao mesmo tempo precisava manter minha identidade preservada. Não estava buscando uma namorada, amante, crush, ou nada do tipo. "Ah, CarroR24311, mas não seria mais fácil então sair com uma GP?" Sim, seria...mas minhas motivações nem sempre são muito simples de serem definidas ou explicadas; encontro prazer no inusitado, no inesperado, na surpresa. Gosto de jogos, e me pareceu um jogo interessante essa "pescaria"...jogar a isca e ver quem nesse universo tão variado de meninas que aparecem todos os dias na descoberta do Tinder cairia na minha rede. Sabia desde o primeiro momento que seria uma loteria...sair com meninas das quais eu não sabia nada, das quais não tinha nenhuma informação senão meia dúzia de fotos e uma descrição que geralmente se resumia a signo, altura, gosta da série tal, dispensa quem quer apenas sexo (essa parte geralmente era a mais engraçada, por motivos óbvios).
Assim, o primeiro passo foi criar um facebook apenas com a finalidade de usar o Tinder, já que é obrigatório vincular uma conta do face ao Tinder. Feito isso, é hora de criar o perfil...por via de regras, no Tinder as pessoas avaliam as outras com base nas fotos e uma breve descrição. No meu caso a minha foto não mostrava a minha pessoa, mas sim uma sugestão sobre o meu objetivo ali. E minha descrição era bem objetiva, do tipo "Sou casado, busco relacionamento sexual e como retribuição ofereço um valor de até $$$ por cada encontro. Não busco romance ou namoro, ofereço e exijo o máximo de discrição".
SEGUNDO PASSO - A PESCARIA
Nesse momento se define o que se deseja, podendo limitar sua escolha por localização e faixa etária. No meu caso, no começo eu defini que gostaria de visualizar apenas meninas de 18-22 anos e localização de até 160 km do meu local. Nesse primeiro momento eu geralmente dava likes indiscriminadamente, queria mais ter um feeling se meu perfil iria fisgar a atenção de alguém. Logo no primeiro dia consegui 8 matchs, e então passei a ser mais seletivo, reduzindo o "range" de distância e concentrando meus likes apenas nas meninas que de fato me chamavam a atenção.
TERCEIRO PASSO - DEI MATCH, O QUE FAÇO AGORA
Bem, eu uso a seguinte regra: se dei like por último, eu começo a conversa, se a menina deu like por último, espero ela começar. No meu caso, tudo sempre começa com o famoso "Bom dia, tudo bem com você?", e em seguida eu pergunto se ela leu meu perfil por completo, se existe alguma dúvida com relação à minha proposta. Acho isso importante pois reforça a objetividade da oferta e não dá muita margem para a menina ficar de papo furado depois. Na maioria dos casos as meninas afirmam terem lido e estarem de acordo. Mas também na maioria dos casos elas vão querer saber um pouco sobre você, sua motivação, e principalmente, vão querer uma foto sua. Posso afirmar que 99% vão pedir para ver uma foto antes de seguir em frente, e existem mil maneiras que você pode enviar uma foto: colocando no próprio perfil do Tinder e depois tirando (não gosto de fazer isso, pois alguém conhecido pode justamente estar olhando seu perfil naquele exato momento), upando em um tumblr da vida e passando o link, ou então passando a conversa do Tinder para o popular WhatsApp. Eu geralmente uso essa última.
Bem, daí pra frente vai de cada um. Você vai ter que conversar com a menina e combinar o seu encontro. Eu geralmente pergunto à menina se ela prefere encontrar antes para tomar um café, conversar um pouco, quebrar o gelo, afinal de contas são garotas que na maioria das vezes nunca fizeram sexo em troca de dinheiro e ficam preocupadas de você ser um maníaco ao algo do tipo. Para uns 20% isso foi muito importante, e eu não teria sucesso com elas se não tivesse colocado essa possibilidade. As demais foram de boa para abate sem floreios. Também é bom salientar que na maioria dos casos de encontros pelo Tinder não é a menina que vem ao seu encontro. Você vai ter que ir atrás...e isso pode ser um empecilho para alguns.
Outra coisa, eu não pedi nudes para nenhuma menina. Como já disse lá no início, encarei essa experiência como uma loteria, e solicitar fotos sem roupas poderia colocar em risco meu objetivo. Tem muita gente no Tinder que fica só pedindo foto, e as meninas por razões óbvias vão ter muito receio de encaminha-las para um estranho. Em razão disso, tive alguns desapontamentos, mas no fim, como Edith Piaf posso afirmar que "Je ne regrette rien"
Com relação à duração dos encontros, isso também era algo totalmente em aberto. Eu particularmente preferia não definir nada, deixar rolar...assim, para algumas meninas eu paguei para ficar uma noite inteira o mesmo que valor que gastei para passar 20 minutos com outras.
Enfim, o resultado dessa experiência foram encontros com 19 meninas, das mais diversas origens e classes sociais. Vou descrever um resumo de cada um, para que tenham uma ideia do que poderão encontrar...
Menina 1 - Mesquita - 20 anos - Funcionária Pública
Bem, essa foi fisgada ainda na primeira leva de likes. Mulata, não muito bonita de rosto, mas tinha um corpão de passista de escola de samba. Combinamos na praça, e na hora marcada ela estava lá. Eu estava nervoso por ser meu primeiro encontro, e ela nitidamente também estava. Quando ela entra no carro bateu uma bad, pois as fotos haviam pegado apenas seus melhores ângulos, que eu pessoalmente não conseguia enxergar. Enfim, mas eu já estava ali, então ia tentar fazer daquele limão uma limonada. Já no carro ela começa a me elogiar, dizendo que me achou bonito e que não entendia o porque de eu estar pagando para sair com garotas, e no caso, estar saindo com ela. Eu pensei a mesma coisa, mas não disse. Como eu havia combinado antes com ela de sairmos para comer algumas coisa, fomos para o shopping almoçar e conversar um pouco, antes de ir para o hotel. Bem, pelo menos sem roupa ela compensava a cara. Menina bem gostosa, seios médios, bundão. pedia para chamar ela de puta e por fim, me ofereceu atrás que eu claro, não recusei. mas logo em seguida bateu a bad de novo, e disse a ela que tinha um compromisso e ia precisar ir embora. Devemos ter ficado em torno de 1 hora no hotel...na hora de pagar ela ficou muito constrangida, a princípio não quis receber. Mas depois de minha insistência, ela acabou aceitando.
No caminho para deixá-la de volta em casa ela contou que imaginava que iríamos ficar mais tempo, mas que como saiu cedo iria conseguir ir à reunião do grupo de jovens na igreja 54** . Achei essa parte engraçada, mas segurei para não rir. Dois minutos depois de deixá-la no local onde a peguei, descombinei no Tinder e fui seguindo meu caminho pra casa, quando ela me manda uma mensagem pelo WhatsApp perguntando o porque de eu ter descombinado. Enfim, como justamente estava nessa para não ter que dar satisfação a ninguém, não respondi e tratei de bloqueá-la no WhatsApp também. Ela foi a primeira de 36 contatos que estão bloquedos hoje no meu telefone, que vão de garotas que eu já saí e não quis repetir até meninas com quem eu comecei a conversar mas decidi por não encontrar.
Menina 2 - Volta Redonda - 21 anos - Estagiária em Escritório de Advocacia
Sim senhores, nesse afã por ppk eu fui parar em Volta Redonda. Como no começo meu "range" estava de até 160 km, acabei dando match com essa menina de lá, e ela me chamou tanta atenção que decidi que valeria a viagem. Pelas fotos do tinder e instagram ela parecia com a Mulan, personagem de um desenho da Disney. Na conversa pelo WhatsApp se mostrou instruída, tranquila, o que me animou ainda mais em encontra-la. Com ela não teve papo antes...nos encontramos e fomos direto para o hotel. Era a segunda vez que encontrava alguém em troca de grana e estava juntando para por silicone. Dei duas com ela, e poderia ter dado mais se quisesse, mas eu tinha que voltar ao Rio para trabalhar. Enfim, apesar de ter sido legal, não tinha intenção de repetir, então foi para o saco dos blocks também.
Menina 3 - Santa Cruz - 18 anos - Blogueira e Hostess
Fiquei impressionado com as fotos dela. Pelo WhatsApp a menina me pediu um monte de fotos, perguntou um monte de coisas, já estava ficando puto, mas como queria muito conhecê-la fui relevando. Até que ela passou um pouco dos limites, perguntando coisas da minha vida pessoal, daí eu dei-lhe um fora, e já imaginava que ela ia me xingar e cair fora, mas o oposto aconteceu. Ela pediu desculpas e ficou mansinha, me mandou até nudes sem eu pedir. hahahaha
Enfim, fui encontrá-la em Santa Cruz, e a menina queria manter as luzes apagadas no quarto. Muito gostosa, mas tinha um comportamento meio estranho. Parecia sofrer de distúrbio de dupla personalidade. Enfim, essa eu não bloqueei, pois achei que valeria a pena encontra-la novamente, mas três dias depois ela vem com uma história que estava precisando de grana para por implante no cabelo, se eu não podia adiantar, e tal...bem, percebi que essa mulher ia ficar no meu pé, então mais uma foi morar no saco dos blocks.
Menina 4 - Tijuca - 18 anos - Universitária
Quando dei match com ela eu nem acreditei. A menina era muito gata, mas muito mesmo...um corpo perfeito, conforme pude ver pelas suas fotos de biquíni. O relacionamento com ela extrapolou um pouco os limites que eu havia determinado para mim mesmo. Fui dormir na república onde ela morava, falava com ela todos os dias, já não pagava mais, mas a coisa já estava saindo do controle, então preferi me afastar. Dessa eu tenho saudades..
Menina 5 e 6 - Tijuca - 18 e 21 anos - Universitárias
Dei match com a de 21 anos, que durante as conversar informou que uma amiga também estava interessada. Me mandou fotos da amiga, que de fato parecia ser muito gata. Perguntei se ela e a amiga se pegavam, ela disse que não. Eu então questionei o sentido de eu sair com as duas. Elas disse que estava precisando muito de dinheiro, e que poderia fazer "2 pelo preço de 1,5". Bem, como eu estava muito afim de comer a amiga dela, topei. Nesse eu me dei mal...a amiga de fato era gata, mineira, 18 aninhos, branquinha, peitões. Uma delícia. Agora a menina que eu dei match era simplesmente diferente das fotos!!! Uma gordinha baixinha que eu não pegava nem de graça...mas é aquilo, "tá no inferno, abraça o capeta".
No hotel, as duas não podiam ficar no mesmo ambiente pois a mineira (que apesar de linda parecia um bicho do mato), tinha vergonha de dar na frente da amiga. Assim, a comi no banheiro enquanto a gordinha ficava no quarto olhando o que tinha na geladeira. Estava bom com a mineira, até que ela dá um troço e fala "agora vai com ela"...hahaha. Quase me desesperei, argumentei que estava bom ali, que não queria parar naquele momento, mas ela disse que estava ficando com a buceta ardendo por causa da camisinha. Enfim, muito puto fui comer a gordinha, que pelo menos tinha uma buceta quentinha e apertada...botei o travesseiro na cabeça dela e percebi que daquela forma, com ela de 4, até que não estava de todo ruim. Enfim, gozei e quando eu viro por lado a mineira já estava vindo arrumada do banheiro. isso não tinha passado nem 40 minutos de quando havíamos chegado. Pra não me estressar, levei as duas embora com a intenção de nunca mais ver a cara das delas. Até que um dia recebo uma mensagem no whatsapp de um número desconhecido, e para a minha surpresa era a mineira, que estava querendo sair de novo comigo (ou seja, estava precisando de grana). Falei que ela estava doida, que tinha me decepcionado da última vez e não estava afim de me aborrecer novamente. Daí ela falou que ia se esforçar para me agradar desta vez, pediu desculpas, quase implorou. Como ela era gostosa, e estava aparentemente arrependida, lá fui eu encontrá-la. Até que de fato foi melhor, mas ela estava afim de um patrono, e eu não queria ter compromisso de ter de ficar saindo sempre que ela precisasse de grana, então botei ela no saco junto com as outras.
Menina 7 - Baixada - 20 anos
Essa prefiro não relatar, sorry.
Menina 8 - Nova Iguaçu - 18 anos
Essa eu conheci por intermédio da menina 8, então boto na conta do tinder também. Branquinha, linda, uma princesa...essa eu faço questão de encontrar até hoje.
Menina 9 - Duque de Caxias - 18 anos - Lojista
As fotos dela eram sensacionais. Os seios foram os que mais me chamaram a atenção, mas o rosto era lindíssimo. Por isso até fiquei meio cabreiro. Mas ao vê-la pessoalmente fiquei impressionado em como ela era ainda mais bonita. Segundo ela, eu era apenas o segundo cara com quem ela fazia sexo na vida. O primeiro havia sido um namorado com quem ela havia terminado apenas dois meses antes. A menina era muito, mas muito gostosa, e além de tudo ainda deixou eu fazer várias coisas loucas. Detalhe, ela disse ter uma irmã gêmea, o que foi suficiente para aflorar em minha mente os mais perversos pensamentos. Infelizmente não encontrei mais com ela, embora tenhamos nos falado algumas vezes depois. Fico na esperança, pois dessa também tenho muitas saudades
Menina 10 - Magé - 20 anos - Universitária
Loira, 1,75 m de altura, mulherão. Mas com carinha de menina...essa foi engraçada, pois demoramos a nos encontrar. Ela só podia em um dia específico da semana, num espaço de duas horas. Como fui descobrir depois, ela estudava com o namorado, e a única matéria que eles não faziam juntos caia nesse horário. Então eu a pegava na porta da faculdade, saía correndo pro hotel, e antes da aula terminar eu tinha que deixá-la de volta, pois ela ia para casa com o corno. Nos encontramos 3 vezes, e só paguei a primeira...nas outras ela me chamou, pois como o namorado dela não comparecia (eram crentes), ela sentia falta de sexo e acabava pedindo minha "ajuda". Saí fora pois fiquei com receio de dar merda, mas valeu a pena a aventura.
Menina 11 - Duque de Caxias - 22 anos - Comerciante
Me chamou atenção pois parecia ser linda de rosto pelas fotos. E de fato era muito mas muito bonita. Mas tinha um corpo meio estranho. Já era mãe, e a gravidez acabou judiando da menina. Mas tinha os maiores seios que já vi na vida, ainda que um tanto que moles. Gente boa, não tive coragem de dar block de primeira, mas também não queria mais sair com ela. Só que ela ficava me mandando mensagem direto, daí não teve jeito e mandei pro saco também.
Menina 12 - Duque de Caxias - 21 anos - Universitária
Essa foi engraçado. Menina de Goiânia, nos falávamos pelo WhatsApp e seu sotaque dava o maior tesão, aquele "amorrr" fazia o pau subir na hora. Mas a menina era muito carente, e já no chat ficava falando que não ia querer receber pois tinha medo de isso afetar nosso futuro 08** 08** 08** . Bem, no dia do encontro saímos antes para tomar conversar, tomamos um chá, e a menina estava cheia de amor. Já no hotel se mostrou uma devassa na cama, muito gostosa, mas ela estava afim de romance, então tive de sair fora.
Menina 13 - Barra da Tijuca - 18 anos - Só fuma maconha 70**
Essa menina eu já encontrei algumas vezes. Tem um perfil social que difere da maioria das outras pois é de família abastada. Mora em uma mansão em condomínio fechado da Barra, tem tudo o que quer, e sinceramente eu não sei por que está nessa. Acho que ela curte o lance da aventura, sei lá...nunca entendi. Mas enfim, é gostosa demais, muito safada, então eu vou aproveitando.
Menina 14 - Campo Grande - 18 anos - Trabalha mas não sei aonde
Essa menina foi meio estranha, bonita, vivia me mandando nudes perguntando quando eu iria encontrá-la, até que um dia resolvi ir na longínqua Big Field. De fato muito gostosa, mas muito estranha também. Eu a elogiei assim que nos encontramos, tipo "você é muito bonita", e ela "eu sei!" 17** . Já fiquei meio bolado...calada, não falava absolutamente nada até chegarmos ao hotel. Bem gostosa, mas não me senti a vontade em nenhum momento com ela. Até que uma hora ela começa a ter dificuldades para respirar, e eu fiquei super bolado pensando que a menina ia morrer...ela disse que isso era normal, que ela precisava tomar um remédio para melhorar. Daí falei para irmos embora, mas ela não queria ir. Eu ficando desesperado, mas ela aparentou melhorar. Fumava igual um saci....fui puxar assunto, comentando que ela era muito quieta, até estranha. Que eu estava com medo dela...hahaha. Ela começou então a contar a história dela, que tinha vivido em orfanato até os 13 anos, um monte de história triste, daí fiquei na bad e insisti que tinha que ir embora. Finalmente ela aceitou. Nesse dia tive duas alegrias, uma quando a encontrei, e vi que era bonita, e outra quando consegui me ver livre dessa doida. Óbvio que foi para o saco.
Menina 15 - Jacaré - 18 anos - Terminando 2º grau
Menina bonita, mas meio feminista. Não depilava a perna nem as axilas. Estava menstruada quando nos encontramos (só descobri na hora), não chupava (nas palavras dela "não faço aquele job"), enfim, desastre total. E o pior é que ela ficou me ligando depois querendo me encontrar de novo...
Tiveram mais 4, inclusive uma que mora no Leblon, que eu até agora não acreditei que deu match. Conheci-a dois dias atrás e estou praticamente apaixonado. A mulher é tão linda, mas tão linda que só o fato de eu ter saído com ela valeu por todos os infortúnios que passei. Mas agora estou com preguiça de descrever, e esse texto está ficando muito longo. hahahaha
Enfim, fora essas, ainda tem 19 matchs para desenrolar, e isso tudo em pouco mais de 1 mês. As experiências foram das mais diversas, e dá para comer uma menina por dia nesse tinder se você tiver disposição, grana e tempo.
Espero que tenha sido útil para quem ainda tem dúvidas sobre a utilização desse app. Eu já estou perdendo o fôlego, tem umas meninas que ainda quero conhecer pois me chamaram muito a atenção, mas depois disso vou dar uma parada. Administrar a logística para todos esses encontros não foi fácil. Mas valeu a pena!
TL;DR: ofereço grana pra mulheres “normais” no Tinder em troca de sexo e elas aceitam. Seguem também relatos de alguns encontros.
submitted by CarroR24311 to brasil [link] [comments]